Arquivos

POBREZA E DESIGUALDADES SOCIAIS NO BRASIL

Diferentes abordagens teóricas sobre a pobreza. Pobreza e globalização. Exclusão social e marginalidade avançada. Os novos formatos da pobreza no Brasil: indicadores sociais e econômicos. Oferta e cobertura dos serviços sociais: financiamento e distribuição intra e inter regiões. Crescimento e desigualdades regionais.


Bibliografia Básica da Disciplina

CARVALHO, J.M. Fundamentos da política e da sociedade brasileiras. In Sistema Político Brasileiro.

PEREIRA, PAP, 2002. A contribuição do conceito de necessidades humanas básicas à formulação de políticas sociais. In Necessidades Humanas: subsídios à crítica dos mínimos sociais. São Paulo: Cortez.

ROCHA, S., 2003. Pobreza no Brasil: afinal, de que se trata? Rio de Janeiro: FGV. Caps. 1 e 2.

TOWSEND, P., 1992. Conceptualising poverty. In The International Analysis of Poverty. London, Harvester Wheatsheaf.

ENGELS, F., 2010. A Situação da Classe Operária na Inglaterra. São Paulo: Boitempo. Prefácio e Introdução. 2  STOTZ, E., 2005. Pobreza e capitalismo. In VALLA, V.V.;

STOTZ, E.; ALGEBAILE, E.B. (org.). Para compreender a pobreza no Brasil. Rio de Janeiro: Contraponto-ENSP.

YAZBEK, M.C., 2012. Pobreza no Brasil contemporâneo e formas de seu enfrentamento. Serviço Social e Sociedade 110, pp.288-322. Disponível em www.scielo.br.

CASTEL, R., 1997. Da indigência a exclusão, a desfiliação – precariedade do trabalho e vulnerabilidade relacional. In BAREMBLITT, G. et al. SaúdeLoucura: grupos e coletivos. São Paulo: HUCITEC.

ESCOREL, S., 1999. Exclusão social: em busca de uma categoria. In Vidas ao léu: trajetórias de exclusão social. Rio de Janeiro: FIOCRUZ.

SEN, A, 1991. Concepts of Poverty. In An essay on entitlement and deprivation. New York: Oxford University Press, pp.9-22. Disponível em http://203.128.31.71/articles/0198284632%20Poverty%20and%20Famines.pdf

_________, 2001. Desigualdade Reexaminada. Rio de Janeiro: Record. cap. 7

FURTADO, C. S. V., 2011. Classificação dos pobres: questões, construção e análise. Sociologias 26. Pp.303-30. Disponível em www.scielo.br.

JANNUZZI, P. M., 2005. Indicadores para diagnóstico, monitoramento e avaliação de programas sociais no Brasil. Revista do Serviço Público Brasília 56 (2): 137-160 Abr/Jun.

SOLIGO, V., 2012. Indicadores: conceito e complexidade do mensurar em estudos de fenômenos sociais. Est. Aval. Educ., São Paulo, v. 23, n. 52, p. 12-25, mai./ago.

SAMPAIO JR., P.A., 2012. Desenvolvimentismo e neodesenvolvimentismo: tragédia e farsa. Revista Serviço Social e Sociedade 112. Pp.672-688.

SICSU, J.; PAULA, L.F.; MICHEL, R., 2007. Por que novo-desenvolvimentismo? Revista de Economia Política 27 (4). Pp.507-524.

KERSTENETZKY, C. L., 2014. Política Social Desenvolvimentista: elementos para uma agenda. Texto para discussão 95. Niterói: CEDE/UFF. Disponível online.

SOUZA, J., 2011. A ralé brasileira: quem é e como vive. Belo Horizonte: UFMG. Introdução e cap. 1 e 2.

SPRANDEL, M.A., 2004. A pobreza no paraíso tropical: interpretações e discursos sobre o Brasil. Rio de Janeiro: Relume Dumará. Capítulo 3.

REIS, E. P., 2000. Percepções da elite sobre pobreza e desigualdade. Revista Brasileira de Ciências Sociais 15(42). Disponível em www.scielo.br.

MARINS, M.T., 2014. Repertórios morais e estratégias individuais de beneficiários e cadastradores do Bolsa Família. Sociologia & Antropologia 4 (2). Pp. 543-562. Disponível on line.

PAUGAM, S. 2003. Prefacio. In Desqualificação social: ensaio sobre a nova pobreza. São Paulo: Cortez.

PONTES, R.N., 2010. Concepções de pobreza dos atores sociais na política de assistência social no período FHC. Katálysis 13 (2). Disponível em www.scielo.br.

BRONZO, C.; PRATES, I., 2009. Análise das conexões entre capital social e pobreza em território de alta vulnerabilidade social. Anais do XIV Congresso Brasileiro de Sociologia. Rio de Janeiro: SBS.

LOEBEL, E., 2004. As noções de capital social e pobreza no Brasil. Pensam. Real. 14. Pp.5-26.

PUTNAM, R.D., 1996. Comunidade e Democracia: a experiência da Itália Moderna. Rio de Janeiro: FGV. Cap. 6.

ANDRADE, G.R.; VAITSMAN, J, 2002. Apoio social e redes: conectando solidariedade e saúde. Ciência & Saúde Coletiva 7 (4). Pp.925-934. Disponível em www.scielo.br.

MARQUES, E., 2009. As redes importam para o acesso a bens e serviços obtidos fora do mercado? Revista Bras. Ciências Sociais 24 (71). Disponível em www.scielo.br.

MARTINS, E., 2011. Família em situação de risco e rede social de apoio: um estudo e comunidade da periferia metropolitana. Revista @mbienteeducação 4(1). Pp. 60-71. Disponível on line.

ALVES, J.E.D.; CAVENAGHI, S.M., 2012. Indicadores de desigualdade de gênero no Brasil. Mediações 17 (2). Pp.83-105.

HERINGER, R, 2002. Desigualdades raciais no Brasil: síntese de indicadores e desafios no campo das políticas públicas. Cadernos de Saúde Coletiva 18 (suplemento). Pp.57-65. Disponível em www.scielo.br.

SOARES, C., 2013. O desenvolvimento social e o empoderamento econômico das mulheres no Brasil:uma análise a partir de índices sintéticos. Cadernos Adenauer, n.3 Ano XIV.

VALVERDE, D O & STOCCO, L., 2009. Notas para a interpretação das desigualdades raciais na educação. Estudos Feministas 17 (3). Pp. 909-920.

BICHIR, R. M., 2009. Determinantes do acesso à infraestrutura urbana no município de São Paulo. Revista Bras. Ciências Sociais 24 (70). Disponível em www.scielo.br.

MACHADO da SILVA, L.A., 2010. “Violência urbana”, segurança pública e favelas: o caso do Rio de Janeiro atual. Caderno CRH 23 (59). Pp. 283-300.

RIBEIRO, L.C.Q; CORRÊA, F.S., 2012. Cultura política, cidadania e representação na urbs sem civitas: a metrópole do Rio de Janeiro. Sociologias 14 (30). Pp.156-193.

SOUZA, C., 2002. Governos e sociedades locais em contextos de desigualdades e de descentralização. Ciência & Saúde Coletiva 7 (3).pp.431-442. Disponível em www.scielo.br .

MEDEIROS, M. et al, 2015. A estabilidade da desigualdade de renda no Brasil, 2006 a 2012: estimativa com dados do imposto de renda e pesquisas domiciliares. Ciência & Saúde Coletiva 20 (4). Pp. 9 71-986.

SCALON, C.; SALATA, A., 2012. Uma Nova Classe Média no Brasil da Última Década? O debate a partir da perspectiva sociológica. Revista Sociedade e Estado 27 (2). Pp.387-407.

SOARES, S.S.D, 2010. O ritmo da queda da desigualdade no Brasil é aceitável? Revista de Economia Política 30 (3). Pp.364-380.

JACCOUD, L., 2013. Igualdade e equidade na agenda da proteção social. In FONSECA, AM & FAGNANI, E. (orgs). Políticas Sociais, desenvolvimento e cidadania vol. 2. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo.

LAVINAS, L, 2013. Notas sobre os desafios da redistribuição no Brasil. In FONSECA, AM & FAGNANI, E. (orgs). Políticas Sociais, desenvolvimento e cidadania vol. 1. São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo.

REIS, E., 2011. Contemporary challenges to equity. Working Paper 2. Berlin: desiguALdades.net Research Network on Interdependent Inequalities in Latin America.

Copyright 2021 - STI - Todos os direitos reservados