Notícias

Arquivos

MOVIMENTOS SOCIAIS NO BRASIL

Debate teórico sobre movimentos sociais. Movimentos sociais na ordem brasileira. Movimentos sociais e democracia. Movimentos sociais, Estado e a produção de demandas sociais. Redes de Movimentos Sociais e globalização. Estudos de casos.


Bibliografia Básica da Disciplina

ABERS, R. Inventing local democracy: grassroots politics in Brazil. Boulder: Lynne Rienner Publishers,2002.
ALEXANDER, J. C. Ação coletiva, cultura e sociedade civil: secularização, atualização, inversão, revisão e deslocamento do modelo clássico dos movimentos sociais. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol.13, n.37,1998.
ALVAREZ, G. O. e RODRIGUES, M. Prostitutas cidadãs: movimentos sociais e políticas de saúde na área de HIV/Aids. Revista Ser Social,8ªed, 2001.
AVRITZER, L. e NAVARRO, Z. (orgs). A inovação democrática no Brasil. São Paulo: Cortez, 2003.
BAHIA, L; COSTA, N. R. e STRALEN, C. V. A saúde na agenda pública: convergências e lacunas nas pautas de debate e programas de trabalho das instituições governamentais e movimentos sociais. Ciências e Saúde Coletiva, vol.12, 2007.
BLAY, E. A. 8 de março: conquistas e controvérsias. Revista Estudos Feministas, vol.9, n.2, 2001.
BELTRAME, S. A. B. Formação de professores na prática política do MST: a construção da consciência orgulhosa. Educação e Pesquisa, vol.28, n.2,2002.
CARVALHO, M. C. Participação social no Brasil hoje. Instituto Polis, 2003.
COSTA, S. Movimentos sociais, democratização e a construção de esferas públicas locais . Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol.12, n.35,1997.
DEERE, C. D. Os direitos da mulher à terra e os movimentos sociais rurais na reforma agrária brasileira. Revista Estudos Feministas, vol.12, n.1,2004.
EDER, K. A classe social tem importância no estudo dos movimentos sociais? Uma teoria do radicalismo da classe média.Revista Brasileira de Ciências Sociais,vol.16,n.46,2001.
GADEA, C. A. e SCHERER-WARREN, I. A contribuição de Alain Touraine para o debate sobre sujeito e democracia latino-americanos. Revista de Sociologia Política,n.25, 2005.
GOHN, M. da G. Teorias dos movimentos sociais: paradigmas clássicos e contemporâneos, São Paulo: Edições Loyola, 1997.
GUIZARDI, F. L. e PINHEIRO, R. Dilemas culturais, sociais e políticos da participação dos movimentos sociais nos Conselhos de Saúde. Ciências e Saúde Coletiva,vol.11, n.3, 2006.
GUTIERREZ, C. J. e LORINI, I. A trilha de Morales: novo movimento social indígena na Bolívia. Novos estudos. CEBRAP,n.77, 2007.
FRANÇA, I. L. Identidades coletivas, consumo e política: a aproximação entre mercado GLS e movimento GLBT em São Paulo. Horizontes antropológicos,vol.13, n.28, 2007.
IBARRA, P.; MARTÍ, S. e GOMÀ, R. Creadores de democracia radical. Movimientos sociales y redes de políticas públicas. Barcelona: Icaria Editorial, 2002.
KLIKSBERG, B. ¿Cómo avanzar la participación en el continente más desigual de todos? Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro, vol.41, n.3, 2007.
KRMPOTIC, C. S. e LUCUIX, M. B. Protesta social y ciudadania fragmentada. Revista Ser Social, 15ª ed, 2004.
LESBAUPIN, I. Comunidades de base e mobilização social. Revista Praia Vermelha, 12ª ed., 2006.
LOWNDES, V.; PRATCHETT, L. e STOKER, G. Trends in public participation: part 2 citizens perspectives. Public Administration. New Castle, vol. 79, n. 2, 2001.
LÜCHMANN, L. H. H. e RODRIGUES, J. O movimento antimanicomial no Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, vol.12, n.2, 2007.
MACEDO, M. E. Entre a “violência” e a “espontaneidade” reflexões sobre os processos de mobilização para ocupações de terra no Rio de Janeiro. Mana,vol.11, n.2, 2005.
MACHADO, J. A. S. Ativismo em rede e conexões identitárias: novas perspectivas para os movimentos sociais. Sociologias, n.18, 2007.
NOBRE, M. e FARIA, N. Feminismo em movimento: temas e processos organizativos da Marcha Mundial das Mulheres no Fórum Social Mundial. Revista Estudos Feministas, vol.11, n.2, 2003.
PINHEIRO, L. F. A esquerda e as políticas sociais emergenciais: Alternativas e Paradoxos. Revista Praia Vermelha: Estudos de Política e Teoria Social, ed. 14 e15, 2006.
_________. Movimento nacional de fé e política. Revista Praia Vermelha: Estudos de Política e Teoria Social, 12ª ed., 2005.
SANTOS, G. G. da C. Mobilizações homossexuais e estado no Brasil: São Paulo (1978-2004). Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol.22, n.63, 2007.
SCHERER-WARREN, I. Das mobilizações às redes de movimentos sociais. Sociedade e estado, vol.21, n.1, 2006.
SILVA, C. B. da. Relações de gênero e subjetividades no devir MST. Revista Estudos Feministas, vol.12, n.1, 2004.
SIRVENT, M. T. La educación de jóvenes y adultos frente al desafío de los movimientos sociales emergentes en Argentina. Revista Brasileira de Educação, n.28, 2005.
SIQUEIRA, C. E.; CASTRO, H. e ARAÚJO, T. M. de. A globalização dos movimentos sociais: resposta social à globalização corporativa neoliberal. Ciência e Saúde Coletiva, vol.8, n.4, 2003.
SMULOVITZ, C. e PERUZZOTI, E. Societal accountability in Latin America. Journal of Democracy, vol. 11, n. 4, 2000.
SODRÉ, L. G. P. Crianças de um acampamento do MST: propostas para um projeto de educação infantil. Estudos psicologia. (Natal)vol.10, n.2,2005.
STOTZ, E. N. Movimentos sociais e saúde: notas para uma discussão. Cadernos de Saúde Pública, vol.10, n.2,1994.
TANEZINI, T. C. Z. MST: 20 anos de luta pela reforma agrária dentro de um projeto popular de desenvolvimento para o Brasil e de construção da globalização contra-hegemônica. Revista Ser Social, 15ªed, 2004.
TEJERINA, B. et all. O movimento pela justiça global na Espanha: ativistas, identidade e cartografia política da alterglobalização. Sociedade e Estado,vol.21, n.1, 2006.
VAN DER SCHAAF, A. Jeito de mulher rural: a busca de direitos sociais e da igualdade de gênero no Rio Grande do Sul. Sociologias, n.10, 2003.
VENDRAMINI, C. R. Educação e trabalho: reflexões em torno dos movimentos sociais do campo. Cadernos CEDES,vol.27, n.72, 2007.
VIANNA, L. W. e BURGOS, M. B. Entre princípios e regras. Cinco estudos de caso de ação civil pública. DADOS, vol. 48, n. 4,2005.
WAINWRIGHT, H. Poder popular no Século XXI. São Paulo: Xamã, 2005.

Copyright 2020 - STI - Todos os direitos reservados