Notícias

Arquivos

MÉTODOS QUALITATIVOS EM PESQUISA SOCIAL

Pesquisa qualitativa: conceitos e especificidades. Diferentes técnicas de pesquisa qualitativa: entrevista individual; grupo focal e análise documental. Métodos em campo. Análise e tratamento de informações em pesquisa qualitativa. Uso de programas de informática para tratamento de dados qualitativos. Análise de experiências investigativas utilizando métodos qualitativos.


Bibliografia Básica da Disciplina

ALMEIDA, J.F. e PINTO, J. M. A investigação nas ciências sociais. Lisboa: Presença, 1995.
ALMEIDA, A. M. O. A pesquisa em representações sociais: fundamentos teórico-metodológicos. Revista Ser Social, 9ª ed, 2001.
AMADO, J. e FERREIRA, M. de M. Usos e abusos da história oral. Rio de Janeiro: FGV, 1996.
BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2007.
BECKER, H. S. Métodos de pesquisa em ciências sociais. São Paulo: Hucitec, 1993.
BOSI, E. O tempo vivo da memória. São Paulo: Ateliê Editorial, 2003.
BOUDON, R. Les Méthodes en sociologie. Paris: PUF, 1973.
BOURDIEU, P.; CHAMBOREDON, J.C. e PASSERON, J.C. Le Métier de sociologue, Paris, Mouton, 1973.
BRANDÃO, C. R. (org). Repensando a pesquisa participante. São Paulo: Brasiliense, 1987.
CARDOSO, R. C. L. (org). A aventura antropológica. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997.
DEMO, P. Metodologia científica em ciências sociais. São Paulo: Atlas, 1989.
DENZIN, N. e LINCOLN, Y. S. Handbook of qualitative research. Thousand oaks, CA: Sage Publications, 1994.
ECO, U. Como se faz uma tese. 5ª ed.Lisboa, Presença, 1991.
ELIAS, N. Prefácio. IN: ELIAS, N. O processo civilizador. Uma história dos costumes. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.
FODDY, W. Como perguntar: teoria e prática da construção de perguntas em entrevistas e questionários, Oeiras: Celta,1996.
FRAENKEL, J. R. e WALLEN, N.E. How to design and evaluate research in education. London: McGraw-Hill, 1990.
GAY, L.R. Educational research: competencies for analysis e application. 2ª ed. Columbus, Ohio, Charles E. Merrill, 1981.
GEERTZ, C. A interpretação das culturas. Rio de Janeiro: LTC, 1998.
GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa, São Paulo, Atlas, 1996.
GINSZBURG, C. Mitos, emblemas e sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.
GOLDENBERG, M. A arte de pesquisar. Como fazer pesquisa qualitativa em ciências sociais. Rio de Janeiro: Record, 2000.
HALLBACH, M. A memória coletiva. São Paulo: Centauro, 2004.
IGNATIEFF, M. Instituições totais e classes trabalhadoras: um balanço crítico. Revista Brasileira de História, vol. 7, n.14,1987.
JEANETE L. M. de S. Serviço social e interdisciplinaridade . 6 ed. São Paulo: Cortez,1989.
KING, G.; KEOHANE, R. e VERBA, S. Designing social inquiry. New Jersey, Princeton University Press,1994.
KOGA, D. Medidas de cidades. Entre territórios de vida e territórios vividos. São Paulo: Cortez, 2003.
MAGNANI, J. G. C. e TORRES, L. de L. (orgs.) Na metrópole: ensaios de antropologia urbana. São Paulo: Edusp/FAPESP,1996.
MALINOWSKI, B. Argonautas do pacífico ocidental: um relato do empreendimento e da aventura dos nativos dos arquipélagos da Nova Guiné Melanésia. São Paulo: Abril Cultural, 1978.
MATTA, R. da. Relativizando. Uma introdução à antropologia social. Rio de Janeiro: Editora Rocco, 1986.
MAXWELL, S. The meaning and measurement of poverty. London: ODI, 1999.
MILLS, C. W. A Imaginação sociológica, Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1969.
MINAYO, M. C. de S e SANCHES, O. Quantitativo – qualitativo: oposição ou complementaridade. Cadernos de Saúde Pública, Rio de Janeiro, v.9, n.3, 1993.
MINAYO, M. C. de S. (Org.) Pesquisa social- teoria, método e criatividade. Petrópolis: Vozes, 1997.
MOTA, M. P. da. Análise de metodologia de investigação: homossexualidade. In CZERESNIA, D. et cols. AIDS. Pesquisa Social e Educação. São Paulo: HUCITEC, 1995.
OLIVEIRA, R. C. de. O trabalho do antropólogo. Brasília/São Paulo. Editora Paralelo 15 & Editora UNESP, 1998.
PATRÍCIO, Z. M. O que seria importante pesquisar e como fazê-lo em favor da qualidade de vida. Texto & Contexto, v.3, n. 1,1994.
PATTON, M. Q. Qualitative evaluation and research methods, California, Sage, 1990.
PEIRANO, M. A favor da etnografia. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1995.
_______. A teoria vivida e outros ensaios de antropologia. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2006.
PINEAU, G. e JOBERT, G. Histoires de vie, Tome 1 – Utilisation pour la formation, Paris: L’ Harmattam, 1992.
POUPART, J. et all. La recherche qualitative: enjeux épistémologiques et méthodologiques. Canadá: Gaëtan Morin Éditeur, 1997.
RAGIN, C. Constructing social research. Thousands Oaks, CA: Pine Forge Press,1994.
REICHARDT, C. S. e COOK, T. D. Métodos cualitativos y cuantitativos em investigación evaluativa. Madrid: Morata, 1986.
REVEL, J. Jogos de escalas. A experiência da microanálise. Rio de Janeiro: FGV, 1998.
RUDESTAM, K. E. e NEWTON, R. R. Surviving your dissertation. A comprehensive guide to content and process, Newbury Park, Sage, 1992.
SAHLINS, M. Ilhas de história. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1990.
STRAUSS, A. e CORBIN, J. Basics of qualitative research: grounded theory procedures and thecniques. California: Sage Publications, 1990.
THOMPSON, E. P. Folclore, antropologia e história social. In: THOMPSON, E. P. Peculiaridades dos ingleses e outros artigos (org. Antonio Luigi Negro e Sergio Silva). Campinas:Unicamp, 2001.
VELHO, G. Individualismo e cultura: notas para uma antropologia da sociedade contemporânea. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2002.
_____. Projeto e metamorfoses: antropologia das sociedades complexas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.
VOVELLE, M. Um tempo mais longo: resistências e longa duração nas mentalidades coletivas. IN: VOVELLE, M. Ideologias e Mentalidades. São Paulo: Brasiliense, 1991.
ZALUAR, A. O antropólogo e os pobres: introdução metodológica e afetiva. In. A máquina e a revolta. São Paulo: Brasiliense, 1994.
YIN, R. K. Case study research. Design and methods, Newbury Park, Sage, 1988.

Copyright 2020 - STI - Todos os direitos reservados