Notícias

Arquivos

GERAÇÃO E POLÍTICA SOCIAL

Geração: aspectos conceituais e históricos. Ciclos de vida. Geração: cultura, política e economia. Infância, juventude e velhice na agenda das políticas sociais.


Bibliografia Básica da Disciplina

ABRAMO, H. W. e DÁVILA, L.O. Juventude e adolescência no Brasil: referências conceituais.In: FREITAS,M. V. (org). São Paulo: Ação Educativa,2005.
ABRAMO, H.W e BRANCO. P.P.M (orgs.) Retratos da juventude brasileira. São Paulo: Fundação Perseu Abramo, 2005.
ARÍES, P. História social da criança e da família. Rio de Janeiro: Editora Guanabara,1981.
AZEVEDO, M. A. e GUERRA, V. N. de A.(orgs.).Infância e violência doméstica: fronteiras do conhecimento. São Paulo: Cortez, 2000.
BARROS, M.M.L. A construção e reconstrução da velhice: família, classe social e etnicidade. In: NERI A. L. e DEBERT G. G. Velhice e Sociedade. Campinas: Papirus, 1999.
BARROS, M.M.L. Velhice ou terceira idade? Estudos antropológicos sobre identidade, memória e política. Rio de Janeiro: FGV, 2003.
BASÍLIO, L. C. e KRAMER, S. Infância, educação e direitos humanos. São Paulo: Cortez, 2003.
BELUZZO, L. E VICTORINO, R de C. A juventude nos caminhos da ação pública. São Paulo em Perspectiva, vol. 8, n. 4, 2004.
BERNAL, E. M. B. Arquivos do abandono. São Paulo: Cortez,2004.
BREDEMEIER, S. M. L. Conselho do idoso como espaço público. Revista Serviço Social e Sociedade, vol.75, 2003.
BRITES, J. Afeto e desigualdade: gênero, geração e classe entre empregadas domésticas e seus empregadores. Cadernos Pagu,n.29,2007.
BRITO, E. Z. C. Direitos menores? mulheres, crianças e jovens. Revista Ser Social, 8ªed, 2001.
BRASIL. Tribunal de Contas da União. Avaliação sobre o Projeto Agente Jovem. Brasília: TCU/ Secretaria de Fiscalização e Avaliação do Governo.2004.
BRASIL. Estatuto da Criança e do Adolescente. Organização dos textos, notas remissivas e índices. por OLIVEIRA, J. de . 6ª ed. Atualizada e ampliada. São Paulo: Saraiva, 1996.
CALDAS, C. P. Memória, trabalho e velhice. Um estudo das memórias de velhos trabalhadores. In: VERAS, R. (org.). Terceira Idade: Desafios para o terceiro milênio. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, UNATI/UERJ, 1997.
CAMARANO, A. A.; MELLO, J. L; PASINATO, M. T. e KANSO, S. Caminhos para a vida adulta: as múltiplas trajetórias dos jovens brasileiros. Última Década, n. 21, 2004.
CAMARANO, A. A.; PASINATO, M. T. Envelhecimento, pobreza e proteção social na América Latina. Texto para Discussão (IPEA), v. 1, 2007.
CAMARANO, A. A.; BELTRAO, K. I.; KANSO, S. Dinâmica populacional brasileira na virada do século XX. Texto para Discussão nº1034, Rio de Janeiro, v. 1, 2004.
CAMARANO, A. A.; BELTRAO, K. I.; SUGAHARA, S.; KANSO, S. Tendências demográficas do município do Rio de Janeiro. Coleção Estudos da Cidade, Rio de Janeiro, 2004.
CAMPOS, M. M. A mulher, a criança e seus direitos. Cadernos de Pesquisa, n.106, 1999.
CARDOSO, I. A geração dos anos de 1960: o peso de uma herança. Tempo e sociedade, vol.17, n.2, 2005.
CARVALHO, D.; SUDBRACK, F. e SILVA, M. T. Crianças e adolescentes em situação de rua e consumo de drogas. Brasília: Editora Plano, 2004.
CEPAL. Organización Iberoamericana de Juventud (OIJ). Juventud e inclusión social em lberoamérica.Santiago do Chile:CEPAL 2003.
CIVILETTI, M. V. P. O cuidado às crianças pequenas no Brasil escravista. Cadernos de Pesquisa, n. 76, 1991.
COUTRIM, R. M. da E. Quem disse que os aposentados estão inativos? O movimento dos aposentados e pensionistas e o jogo de resistência contra o poder. Textos sobre Envelhecimento,vol.4,n.7, 2002.
DOWDNEY, L. Crianças do tráfico ? Um estudo de caso de crianças em violência armada organizada no Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: 7 letras,2003.
ELIAS, N. A Solidão dos Moribundos. Seguido de envelhecer e morrer. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.
FONSECA, C. Conexões intergeracionais em famílias acolhedoras: considerações sobre tempo e abrigagem. Praia Vermelha: Estudos de Política e Teoria Social, ed.13, 2005.
FRANCO, M. A. C. C. Da assistência educativa à educação assistencializada: um estudo de caracterização e custos de atendimentos a crianças pobres de 0 a 6 anos de idade. Brasília: INEP, 1998.
FREITAS, M. C (org). Desigualdade social e diversidade cultural na infância e na juventude. São Paulo: Cortez, 2006.
GONÇALVES, H. S. Infância e violência no Brasil. Rio de Janeiro: Nau- Editora FAPERJ, 2003 .
HADDAD, E. G. de M. O direito à velhice: os aposentados e a previdência social. São Paulo: Cortez, 2001.
KARSCH, U. M. Cuidadores familiares de idosos: parceiros da equipe de saúde. Revista Serviço Social e Sociedade, vol.75, 2003.
MEIRELLES, G. A. L de. As relações político-administrativas entre os conselhos e tutelares e a prefeitura de Curitiba. Revista Serviço Social e Sociedade, vol.83, 2005.
MIOTO, R. C. T. A maternidade na adolescência e a (des) proteção social. Revista Serviço Social e Sociedade, vol.83, 2005.
NARDI, H. C. et cols. Subjetividade e solidariedade: a diversidade das formas de implicação dos jovens na economia solidária. Psicologia: reflexão crítica, vol.19, n.2, 2006.
NERI, A. L. & DEBERT, G. G. Velhice e sociedade. Campinas: Papirus,1999.
NEVES, D. P. . Juventude, trabalho e instituições filantrópicas. Saúde e Sociedade, v. 15, 2006.
PAIVA, J. Tramando concepções e sentidos para redizer o direito à educação de jovens e adultos. Revista Brasileira de Educação, vol. 11, n.33, 2006.
PAZ, S. F. A Situação de conselhos e fóruns na defesa dos direitos dos idosos. In: FREITAS, E.V. et cols. Tratado de Geriatria e Gerontologia. Rio de Janeiro:Guanabara-Koogan, 2002.
PEDRO, J. M. A experiência com contraceptivos no Brasil: uma questão de geração. Revista Brasileira de História, vol.23, n.45, 2003.
PEIXOTO, C. Entre o estigma e a compaixão e os termos classificatórios: velho, velhote, idoso, terceira idade. In: BARROS, M.M.L. (org.) Velhice ouTerceira Idade? Rio de Janeiro: FGV, 2003.
PEIXOTO, C. Família e envelhecimento. Rio de Janeiro: FGV, 2004.
PILOTTI, F. e RIZZINI, J. (org). A arte de governar crianças: a história das políticas sociais,da legislação e da assistência à infância no Brasil. Rio de janeiro: Editora Universitária Santa Úrsula, 1995.
PRIORE, M. Del. (org.) História das crianças no Brasil. São Paulo: Contexto, 2000.
RASO, V. Geração e transmissão do conhecimento. Revista Brasileira de Medicina e Esporte, vol.7, n.5, 2001.
REIS, J.R.F. De pequenino é que se torce o pepino: a infância nos programas eugênicos da Liga Brasileira de Higiene Mental. História, Ciências, Saúde? Manguinhos, vol.2, n.1,2000.
RIZZINI, I. O século perdido: raízes históricas das políticas públicas para a infância no Brasil. Rio de Janeiro: Editora Universitária Santa Úrsula, 1997.
_______. A criança e a lei no Brasil. Revisitando a história. Rio de Janeiro: UNICEF-CESPI/USU, 2002.
_______. A geração de rua: um estudo sobre as crianças marginalizadas no Rio de Janeiro: Universidade Santa Úrsula,1986.
_______. A assistência à infância no Brasil . Uma análise de sua construção. Rio de Janeiro: Editora Universitária Santa Úrsula, 1993.
________. et all. Acolhendo Crianças e Adolescentes ? Experiências de promoção do direito à convivência familiar e comunitária no Brasil 2º ed. São Paulo: Cortez,2006.
ROCHA, G. Sob o signo de saturno: Reflexões antropológicas sobre a velhice. Cadernos de Serviço Social, vol. 3, n. 3,1998.
RODRIGUEZ, E. EI futuro ya no es como antes. Ser joven en América Latina. Nueva Sociedad n. 200, 2005.
SADER, E. Nós que amávamos tanto o capital: fragmentos para a história de uma geração. Sociologias, n.14, 2005.
SARMENTO, M. J. Gerações e alteridade: interrogações a partir da sociologia da infância. Educação e Sociedade, vol.26, n.91, 2005.
SIMÕES, J. A. A maior categoria do país: o aposentado como ator político. In: BARROS, M.M.L., Velhice ou terceira idade? Estudos antropológicos sobre identidade, memória e política. Rio de Janeiro: FGV, 2003.
SPAGNOL, A.S. Jovens delinqüentes paulistanos. Tempo Social, vol. 17, n 2, 2005.
SPOSITO, M.P.; SILVA, H.H. de C. e SOUZA, N.A. Juventude e poder local: um balanço das iniciativas públicas voltadas para jovens em municípios
de regiões metropolitanas. Revista Brasileira de Educação, vol. 11, n. 32, 2006.
SPOSITO, M.P. e CORROCHANO, M.C. A face oculta da transferência de renda para jovens no Brasil. Tempo Social, vol. 17, n 2, 2005.
SPOSITO, M. P. e CARRANO, P. C. R. Juventude e políticas públicas no Brasil. Revista Brasileira de Educação, n. 24, 2003.
SPOSITO, M. P. Trajetórias na constituição de políticas públicas de juventude no Brasil. In: FREITAS, M. V. de e PAPA, F. de C. (org.). Políticas públicas: juventude em pauta. São Paulo: Cortez: Ação Educativa: Fundação Friedrich Ebert. 2003.
SPOSITO, M. P. y CARRANO, P. Juventud y políticas públicas en Brasil. In: Politicas públicas de juventud en América Latina. Políticas nacionales.
Viña del Mar: Centro de Investigación y Difusión Poblacional de Achupallas -CIDPA,2003.
VERAS, R. País jovem com cabelos brancos. A saúde do idoso no Brasil. Rio de Janeiro: Relume-Dumará/UERJ, 1994.
VERAS, R (org.). Terceira Idade: Desafios para o terceiro milênio. Rio de Janeiro: Relume-Dumará, UNATI/UERJ, 1997.
WADSWORTH, J. E. Moncorvo Filho e o problema da infância: modelos institucionais e ideológicos da assistência à infância no Brasil. Revista Brasileira de História, vol. 19, n. 37.

Copyright 2020 - STI - Todos os direitos reservados