Arquivos

FAMÍLIAS, REDES SOCIAIS E POLÍTICA SOCIAL

Famílias e redes sociais: diferentes concepções. Famílias e redes sociais: dinâmicas, configurações, funções e impactos. Famílias, redes sociais e mudanças sociais. Famílias, Redes sociais e formas de proteção social primária. O lugar da família e das redes sociais na formulação e implementação de políticas sociais. Famílias, redes sociais e práticas profissionais.


Bibliografia Básica da Disciplina

SINGLY, François de. Sociologia da família contemporânea, Rio de Janeiro: Editora FGV, 2007.

CASTELLS, Manuel. “O fim do patriarcalismo: movimentos sociais, família e sexualidade na era da informação”, O poder da identidade, São Paulo: Paz e Terra, 1999.

GIDDENS, Anthony. Transformações na intimidade: sexualidade, amor e erotismo nas sociedades modernas, São Paulo: Editora da UNESP, 1993.

ALMEIDA, Angela Mendes de. “Notas sobre a família no Brasil”, Pensando a família no Brasil: da Côlonia à Modernidade” (org. Angela Mendes de Almeida), Rio de Janeiro: Editora Espaço e Tempo/Editora da UFRRJ, 1987.

SARTI, Cynthia Andersen. A família como espelho: um estudo sobre a moral dos pobres, 2ª ed., São Paulo: Cortez ed., 2003.

FONSECA, Claudia. “’Ser mulher, mãe e pobre”, História das mulheres no Brasil (org.: Mary Del Priore), São Paulo: Contexto, 1997.

AZEREDO, Verônica Gonçalves. Famílias em território vulnerável: um estudo sobre proteção social em grupos populares. Campos dos Goytacazes, RJ: Essentia Ed., 2015. (Capítulo 4. Territorialidades Familiares e Itinerários de Proteção Social)

FREITAS, Rita, BRAGA, Cenira e BARROS, Nívia. “Famílias e Serviço Social – algumas reflexões para o debate”. Família Famílias: práticas sociais e conversações contemporâneas (org.: Marco José de Oliveira Duarte e Mônica Maria Torres de Alencar), Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris, 2010.

FALLER VITALE, Maria Amália. “Famílias monoparentais: indagações”, Revista Serviço Social e Sociedade, n. 71, São Paulo: Cortez, 2002

WALL, Karin; ABOIM, Sofia e CUNHA, Vanessa (org.). A vida familiar no masculino: negociando velhas e novas masculinidades”, Lisboa: Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego, 2010. Coleção Estudos. Capítulos: “Conjugalidades no masculino: renegociando poderes e identidades no quotidiano” (Sofia Aboim) e “Negociando velhas e novas masculinidades” (Karin Wall; Sofia Aboim e Vanessa Cunha).

LYRA, Jorge et all. “Homens e cuidado: uma outra família Famílias: redes, laços e políticas públicas (org.: ACOSTA, A. R. e VITALE, M. A. F.), São Paulo: IEE/PUC, 2003.

SCOTT, Russel Parry. “Homens, domesticidade e políticas públicas na saúde reprodutiva”. Homens e masculinidades – práticas de intimidade e políticas públicas (org.: Benedito Medrado, Jorge Lyra, Mariana Azevedo e Jullyane Brasilino), Recife: Instituto PAPAI, 2010.

ROCHA, Critiany Miranda. História de famílias escravas: Campinas, século XIX, Campinas: Ed. Unicamp, 2004.

ALMEIDA, Magali. “FAMÍLIA NEGRA: ‘filha de estranho’ na sociedade brasileira”, paper apresentado na Mesa Redonda Trabalho e Famílias: configurações e tensões em contexto de desigualdades – XV ENPESS, Ribeirão Preto, 2016.

SANTOS, Sonia Beatriz dos. “Famílias negras, desigualdades, saúde e saneamento básico no Brasil”. Tempus – Actas de Saúde Coletiva.  v. 7, n. 2, 2013.

MELLO, Luiz. Novas famílias: conjugalidade homossexual no Brasil contemporâneo, Rio de Janeiro: Garamond, 2005.

ROSENEIL, Sasha. “Viver e amar para lá da heteronorma: Uma análise queer das relações pessoais no século XXI”, Revista Crítica de Ciências Sociais, 76, 2006.

ZAMBRANO, Elizabeth. “Parentalidades ‘impensáveis’: pais/mães homossexuais, travestis e transexuais” Revista Horizontes Antropológicos, Porto Alegre, ano 12, n. 26, p. 123-147, jul./dez. 2006.

LUNA, Naara. “Provetas e clones: uma antropologia das novas tecnologias reprodutivas” [on line]. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2007. Antropologia e Saúde collection. http://books.scielo.org. (Introdução, Capítulo V e Conclusão)

FONSECA, Claudia. “A certeza que pariu a dúvida: paternidade e DNA”, Revista Estudos Feministas, Florianópolis, 12(2): 264, maio-agosto/2004

BADINTER, Elisabeth. Um amor conquistado: o mito do amor materno, 8ª ed., Rio de Janeiro, Novo Fronteira, 1985.

SERRURIER, Catherine. Elogio às mães más, São Paulo: Summus, 1993.

MAROUN, Natália. “HOMENS E MASCULINIDADES NA PERSPECTIVA DO CUIDADO: O DESAFIO DA ÓTICA DE GÊNERO NA PROTEÇÃO SOCIAL”, Dissertação apresentada ao Programa de Estudos Pós-graduados em Política Social da Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2015.

CORREIA, Sónia Vladimira. “A articulação família-trabalho em famílias monoparentais masculinas”, A vida familiar no masculino: negociando velhas e novas masculinidades, (org.: Karin Wall; Sofia Aboim e Vanessa Cunha). Lisboa: Comissão para a Igualdade no Trabalho e no Emprego, 2010. Coleção Estudos.

BOCK, Gisela. “Pobreza feminina, maternidade e direitos das mães na ascensão dos Estados-providência (1890-1950)”. História das mulheres no Ocidente (org.: Michelle Perrot e Georges Duby), Porto: Afrontamentos; São Paulo: Ebradil, vol. 5, 1991.

LEFAUCHEUR, Nadine. “Maternidade, família, Estado”, História das mulheres no Ocidente (org.: Michelle Perrot e Georges Duby), Porto: Afrontamentos; São Paulo: Ebradil, vol. 5, 1991.

CAMPO, Marta Silva e TEIXEIRA, Solange Maria. “Gênero, família e proteção social: as desigualdades fomentadas pela política social”, Revista Katálisis. Florianópolis v. 13 n. 1 p. 20-28 jan./jun. 2010

GAMA, Andréa de Sousa. “’Entre o Trabalho e a Família’ – contradições das respostas públicas às reconfigurações da divisão sexual do trabalho”. Família Famílias: práticas sociais e conversações contemporâneas (org.: Marco José de Oliveira Duarte e Mônica Maria Torres de Alencar), Rio de Janeiro: Editora Lumen Juris, 2010.

PEREIRA-PEREIRA, Potyara Amazoneida. “Mudanças estruturais, política social e papel da família: crítica ao pluralismo de bem-estar”, Política Social, Família e Juventude: uma questão de direitos (org. Mione Apolinário Sales et all.), São Paulo: Cortez, 2004.

ANDRADE, Fabrício Fontes. “DESFAMILIARIZAÇÃO DAS POLITICAS SOCIAIS NA AMÉRICA LATINA: Uma breve análise dos sistemas de proteção social na região”. Revista Barbarói. Santa Cruz do Sul, n. 31, ago./dez. 2009.

CAMPOS, Marta Silva e MIOTO, Regina Célia Tamaso. “Política de Assistência Social e a posição da família na política social brasileira”, Revista Ser Social, n. 12, Brasília, 2003

MESQUITA, Adriana de Andrade e FREITAS, Rita de Cássia Santos. “Programas de transferência de renda e centralização nas famílias: prioridades do sistema de proteção social não contributivo brasileiro em questão”, Assistência Social: política e pública (org.: Marcio Eduardo Brotto; Aldaíza Sposati e Mônica Senna). Rio de Janeiro: Letra Capital, 2016 – p. 07-17; 131-160.

CARLOTO, Cássia Maria e MARIANO, Silvana Aparecida. “No meio do caminho entre o privado e o público: um debate sobre o papel das mulheres na política de assistência social”. Revista Estudos Feministas, 18, vol. 2, 2010.

FREITAS, Rita; SENNA, Mônica; BRAGA, Cenira e TAVARES, Fabielle G. “Serviço Social e atenção básica em saúde: pensando o trabalho com famílias”, Serviço social na saúde coletiva: reflexões e práticas (org.: Mônica Senna, Luciana Zucco e Ana Beatriz Lima), Rio de Janeiro: Garamond, 2012.

ALMEIDA, Guilherme S. de. “Repercussões sociais da assistência à saúde transexual”. In: SILVA, Eloísio Alexsandro da (org.). Transexualidade: princípios de atenção integral à saúde. São Paulo: Grupo Editorial Nacional/Ed. Santos, 2012.

RAMALHO, Nelson. “Competências e práticas afirmativas dos assistentes sociais com famílias e pessoas lésbicas, gays, bissexuais e transgênero (LGBT)”. Serviço social com famílias (coord. Maria Irene de Carvalho), Lisboa: Pactor, 2015.

FONSECA, Claudia. “Concepções de família e práticas de intervenção: uma contribuição antropológica”, Revista Saúde e Sociedade, vol. 14, n. 2, 2005.

MANZINI-COUVRE, Maria de Lourdes. “A família, o ‘feminino’, a cidadania, e a subjetividade (um finale com Clarice Lispector)”, A família contemporânea em debate (org.: Maria do Carmo Brant), São Paulo: Cortez/EDUC, 1995.

Copyright 2021 - STI - Todos os direitos reservados