Notícias

Arquivos

ESTADO, SOCIEDADE E CIDADANIA

Estado e sociedade civil: abordagens clássicas e contemporâneas. Cidadania e Democracia: abordagens clássicas e contemporâneas. Esfera pública: debate teórico e processos de constituição. Mercado e regulação social. Estado e sociedade e o processo de formação das políticas públicas. A especificidade da política social no âmbito das políticas públicas. A articulação entre as esferas macro e micro sociais na constituição da cidadania e dos direitos sociais.


Bibliografia Básica da Disciplina

ANTUNES, R. Adiós al trabajo? Ensayos sobre las metamorfosis y la centralidad del mundo del trabajo. São Paulo: Cortez, 2001.
ARRETCHE, M T. Estado federativo e políticas sociais. São Paulo: Revan/FAPESP, 2000.
BAQUERO, M. Construindo uma outra sociedade: o capital social na estruturação de uma cultura política participativa no Brasil. Revista de Sociologia
e Política, n. 21, 2003.
BEHRING, E. Reforma do Estado e Seguridade Social no Brasil. Revista Ser Social, 7ª ed, 2000.
BOBBIO, N. A era dos direitos. Rio de Janeiro: Campus, 1992.
BOBBIO, N. Teoria geral da política. A filosofia política e a lição dos clássicos. Rio de Janeiro: Campus, 2000.
BOBBIO,N. et all., Dicionário de política. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 1993.
BODSTEIN, R. Complexidade da ordem social contemporânea e redefinição da responsabilidade pública. In: ROZENFELD, S. (org.) Fundamentos da
Vigilância Sanitária. Rio de Janeiro: FIOCRUZ, 2000.
________. Cidadania e modernidade: emergência da questão social na agenda pública. Cadernos de Saúde Pública,vol.13, n.2, 1997.
BRANDÃO, A. A. P. Os intelectuais e a fábrica na prática política de Antonio Gramsci. Serviço Social e Sociedade, n. 31, 1989.
CARNOY, M. Estado e teoria política. São Paulo: Papirus, 1988.
CARVALHO, J. M. de. Cidadania no Brasil – o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.
CASTEL, R. A insegurança social. O que é ser protegido. Petropolis: Vozes, 2003.
CASTRO, M. H. G. de. Governabilidade, governança e democracia: criação de capacidade governativa e relações executivo-legislativo no Brasil pós constituinte. DADOS, n. 40, 1997.
COSTA, S. Movimentos sociais, democratização e a construção de esferas públicas locais. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol.12,n.35, 1997.
_________. Esfera pública, redescoberta da sociedade civil e movimentos sociais no Brasil. Novos Estudos CEBRAP. São Paulo: v. 10, n. 38,1994.
__________. Contextos de construção do espaço público. Novos Estudos Cebrap., n. 47,1997.
BRANDÃO, A. A. P. Os intelectuais e a fábrica na prática política de Antonio Gramsci. Serviço Social e Sociedade, n. 31, 1989.
CARNOY, M. Estado e teoria política. São Paulo: Papirus, 1988.
CARVALHO, J. M. de. Cidadania no Brasil – o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.
CASTEL, R. A insegurança social. O que é ser protegido. Petropolis: Vozes, 2003.
CASTRO, M. H. G. de. Governabilidade, governança e democracia: criação de capacidade governativa e relações executivo-legislativo no Brasil pós
constituinte. DADOS, n. 40, 1997.
COSTA, S. Movimentos sociais, democratização e a construção de esferas públicas locais. Revista Brasileira de Ciências Sociais, vol.12,n.35, 1997.
_________. Esfera pública, redescoberta da sociedade civil e movimentos sociais no Brasil. Novos Estudos CEBRAP. São Paulo: v. 10, n. 38,1994.
__________. Contextos de construção do espaço público. Novos Estudos Cebrap., n. 47,1997.
COELHO, V. e NOBRE, M. (orgs.). Participação e deliberação. Teoria democrática e experiências institucionais no Brasil contemporâneo. São Paulo: Editora 34,2004.
CUNNILL, N. G. Repensando lo Público atraves de la Sociedad,Caracas: Nueva Sociedad/CLAD, 1997.
DAGNINO, E.; OLIVERA, A. e PANFICHI (orgs). A disputa pela construção democrática na América Latina. Paz e Terra: São Paulo, 2006.
DAGNINO, E. (org.). Sociedade civil e espaços públicos no Brasil. São Paulo: Paz e Terra, 2002.
DARHENDORF, R. O conflito social moderno. São Paulo: Jorge Zahar, 1992.
DINIZ, E. Governabilidade, democracia e reforma do Estado: os desafios da construção de uma nova ordem no Brasil dos Anos 90. DADOS, n. 38.
DRAIBE, S. M. A nova institucionalidade do sistema brasileiro de políticas sociais: os conselhos nacionais de políticas setoriais. Cadernos de Pesquisa (UNICAMP) n. 35, São Paulo,1998.
DUARTE, A. O processo de reforma da previdência social pública brasileira: um novo padrão de regulação social do Estado? Revista Serviço Social e Sociedade, vol.73, 2003.
ELSTER, J. La democracia deliberativa. Barcelona: Gedisa Editorial,2001.
ESPING-ANDERSEN, G. As três economias políticas do Welfare State. Revista Lua Nova, n.24
______________. Welfare in transition – national adaptations in global economies. London: Sage Publications, 1997.
FARIA, V. E. Brasil: compatibilidade entre a estabilização e o resgate da dívida social. Cadernos Adenauer – pobreza e política social, n.1, 2000.
FLEURY, S. Estado sem cidadãos, Rio de Janeiro: Editora Fiocruz, 1994.
______.Reforma del Estado. Washingyon:INDES, 2000.
FLORENZANO, M. Sobre as origens e o desenvolvimento do estado moderno no ocidente. Revista Lua Nova, n.71, 2007.
GARRETON, M. A. Gobernabilidad democrática: perspectivas regionales. In: R. URZUA, R. e AGÜERO, F. Fracturas en la gobernabilidad
democrática. Santiago: Universidad de Chile, 1998.
GOMÀ, R. e FONT, J. Mecanismos de participación ciudadana local en España. Barcelona: Universidad Autónoma de Barcelona/Instituto de
Gobierno y Políticas Públicas,1994.
GOMES. A. de C. Venturas e desventuras de uma república de cidadãos. In: ABREU, M. e SOHIET, R. (orgs.). Ensino de história. Conceitos,
temáticas e metodologia. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2003.
GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere, vols. 1,2,3,4,5,6. Rio de Janeiro : Civilização Brasileira, 2001.
_______. Concepção dialética da historia. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1987.
_______. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1989.
HABERMAS, J. A nova intransparência. A crise do Estado de bem-estar social e o esgotamento das energias utópicas. Novos estudos CEBRAP 22,1987.
_______. Mudança estrutural na esfera pública. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1984.
HELD, D. Os contornos mutantes das comunidades políticas: repensando a democracia no contexto da globalização. Revista Ser Social, 8ª ed, 2001.
JACOBI, P. Políticas sociais e ampliação da cidadania. Rio de Janeiro: FGV. 2000.
KING, D. O Estado e as estruturas sociais de bem-estar em democracias industrias avançadas. Novos Estudos CEBRAP 22, 1988.
KYMLICKA, W. El Retorno del ciudadano. Una revisión de la producción reciente en teoría de la ciudadanía. 1997.
LAVALLE, A. G.; HOUTZAGER, P.; CASTELLO, G. Democracia, pluralização da representação e sociedade civil. Revista
LECHNER, N. Los patios interiores de la democracia – subjetividad y políticas, fondo de cultura económica, Chile: 1990.
LENIN, V. I. O Estado e a revolução. São Paulo: Ed. Instituto José Luís e Rosa Sundermann, 2005.
_____. O imperialismo: fase superior do capitalismo. São Paulo: Centauro, 2003.
_____. Que fazer?: a organização como sujeito político. São Paulo: Martins, 2006.
LESSA, S. Trabalho e proletariado no capitalismo contemporâneo. São Paulo: Cortez,2007.
LÜCHMANN, L. H. H. A representação no interior das experiências de participação. Revista Lua Nova n.70, 2007.
MARIANO, K. P. Globalização, integração e o estado. Revista Lua Nova, n.71, 2007.
MARQUES, E. Notas críticas à literatura sobre estado, políticas estatais e atores políticos. BIB – Boletim Informativo Bibliográfico 43, 1997.
MARX, K. A origem do capital : a acumulação primitiva. São Paulo: Global, 1981.
______. As lutas de classes. Rio de Janeiro: Cátedra, 1986.
______. Contribuição à crítica da economia política. São Paulo: Martins Fontes, 1983.
______.O capital: crítica da economia política, livro primeiro : o processo de produção do capital, volume I. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira,
2001.
_______. e ENGELS, F. Cartas filosóficas e o manifesto comunista de. São Paulo: Moraes, 1987.
MATTA, R. da. A questão da cidadania num universo relacional. In: MATTA, R. da. A casa e a rua – espaço, cidadania, mulher e morte no Brasil – o longo caminho. Rio de Janeiro: Rocco, 1997.
MEKSENAS, P. Cidadania, Poder e Comunicação. São Paulo: Cortez,2002
MOISÈS, J. A. Cidadania, confiança e instituições democráticas. Revista Lua Nova n.65, 2005.
MONSEFF, R. O 18 Brumário e a análise de classe contemporânea Perissinotto. Revista Lua Nova, n.71, 2007.
MORAES, R. Estado, mercado e outras instituições reguladoras. Revista Lua Nova n.58, 2003.
MOREIRA, M. M. da S. A teoria da justiça elaborada por John Rawls. Revista Serviço Social e Sociedade, vol.74, 2003.
MUNCK, G. L. Teoria dos jogos e política comparada: novas perspectivas, velhos interesses. Dados, vol.43 n3, 2000.
NAVES, P e DEFALVARD, H. Économie Politique de L?action Sociale. Paris: Dunod, 2006.
NOGUEIRA, M. A. O desafio de construir e consolidar direitos no mundo globalizado. Revista Serviço Social e Sociedade, vol.82, 2005.
O’DONNELL, G. Accountability horizontal: la institucionalización legal de la desconfianza política. Revista Española de Ciencia Política, n. 11,2004.
_________. Accountability horizontal e as novas poliarquias. Revista Lua Nova, n. 44, 1988.
OLIVEIRA, F. de. Os direitos do antivalor ? a economia política da hegemonia perfeita. Petrópolis: Vozes,1997.
PAOLI, M. C. e SADER, E. Sobre classes populares, no pensamento sociológico brasileiro. In: CARDOSO, R. (org.). A aventura antropológica. Teoria e pesquisa. Rio de Janeiro: Paz e Terra,1986.
PEARCE, J. Violence, power and participation: building citizenship in contexts of chronic violence. Institute of Development Studies. Working Paper,2007.
PINSKY, J. e PINSKY, B. (orgs). História da cidadania. São Paulo: Contexto,2005.
PITKIN, H. F. Representação: palavras, instituições e idéias. Revista Lua Nova n.67, 2006.
PNUD. La democracia en América Latina. Hacia una democracia de ciudadanas y ciudadanos. Contribuciones para el debate. 2ªed. Buenos Aires:
Aguilar/Altea/Taurus/Alfaguara, 2004.
PRZEWORSKI, A.; STOKES, S. e MANIN, B. Democracy, accountability, and representation. Cambridge: Cambridge University Press,1999.
__________; CHEIBUD,J. A.; LIMONGI, F. Democracia e cultura: uma visão não culturalista. Revista Lua Nova n.58, 2003.
PUTNAM, R. D. Comunidade e democracia. A experiência da Itália moderna. Rio de Janeiro, FGV, 1996.
RAICHELIS. R. Esfera pública e conselho de assistência social – os caminhos da construção democrática. São Paulo: Cortez, 1998.
RIBEIRO, R. J. A sociedade contra o social. O alto custo da vida pública no Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
SADER, E. Estado e política em Marx: para uma crítica da filosofia política. São Paulo: Cortez,1993.
_____. Direitos e esfera pública. Revista Serviço Social e Sociedade, vol.776, 2004.
SANTOS, B. S. Democratizar a democracia: os caminhos da democracia participativa. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2002.
SANTOS, W. G. Cidadania e Justiça. A política social na ordem brasileira. Rio de Janeiro: Campus, 1987.
_______. Razões da desordem. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.
SCHERER-WARREN,I. Cidadania sem fronteiras – ações coletivas na era da globalização. São Paulo: HUCITEC,1999.
SORJ, B; OLIVEIRA, M. D. Sociedad civil y democracia in America Latina: crisis y reinvención de la política. Rio de Janeiro: Ediciones Centro
Edelstein; São Paulo: Ediciones IFHC,2007.
SOUZA, C. e CARVALHO, I. Reforma do Estado, descentralização e desigualdades. Lua Nova, n. 49. 1999.
TAVARES, M. A. Os fios (in)visíveis da produção capitalista. São Paulo: Cortez,2004.
TRINDADE, A. A. C. La humanización Del derecho internacional y los limites de la razón de Estado. Revista Ser Social, 8ª ed, 2001.
VITA, Á. de. Uma concepção liberal-igualitária de justiça distributiva. Revista Brasileira de Ciências Sociais,vol. 14, n. 39, 1999.
VIVERET, P. Reconsiderar a riqueza. Brasília: Editora Unb, 2006.
WANDERLEY, L. E. Desafios da sociedade civil brasileira em seu relacionamento dialético com o Estado e o mercado. In: MELO, R. E. e DEGENSZAJN, R. R. (orgs.). Gestão social ? uma questão em debate. São Paulo, Educ,1999.
WEFFORT, F.C. Os clássicos da política. Volume 1 e 2. São Paulo: Ática, 2000.

Copyright 2020 - STI - Todos os direitos reservados